Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cinematologia

Repositorium de todos os filmes que vi

Cinematologia

2013-Enemy by Denis Villeneuve

enemy_ver2_xxlg.jpg

 

Sinopse:

Adam é um professor universitário que, apesar de acomodado à monotonia, não se sente feliz com o rumo que a sua vida levou. Um dia, ao ver um filme, percebe que, para seu horror, o actor principal é a sua cópia exacta. Ainda em choque com o que acabou de descobrir, não consegue tirar da cabeça a imagem do outro. É então que decide saber tudo sobre aquela pessoa, inclusivamente a morada e número de telefone. Quando se conhecem e se apercebem da inexistência de quaisquer laços de sangue que pudessem justificar as semelhanças, eles vêem-se a questionar a sua existência e a sua própria identidade como seres únicos e insubstituíveis. Mas esta descoberta – e tudo o que daí advém – não deixará marcas apenas neles, mas também em todos os que com eles se relacionam.

cinecartaz.publico.pt

 

Crítica:

Os problemas de adaptar Saramago mantêm-se, encerrando O Homem Duplicado num clima de pesadelo que parece esgotar em si próprio as potencialidades do filme, um mal-estar existencialista que o canadiano parece tecer sem esforço a partir do nada mas que elide qualquer tipo de explicação linear sem oferecer em troca mais do que um formalismo cuidado, finalmente oco.

Jorge Mourinha-cinecartaz.publico.pt

 

Cinemantário:

The central irony in all this is that even the main character, though he is an expert on the ways of totalitarian governments, doesn’t see the web that’s overtaken the city until he’s already stuck in it. As he says in the lecture, totalitarian states succeed because “they censor any means of individual expression” (my emphasis). When he finds out he has a double, that’s of course exactly what happens: He can never again be an individual.

Forrest Wickman in www.slate.com

 

We all have multiple identities inside of us. I think it's about the power of subconscious and how our actions represent that side of the self - and who is really in control? The influence of the past on our lives and the strength of the past, is something that really impressed me and terrorized me because it means that we aren't totally in control of our actions. I think you can find power over it, but it's a process.

Denis Villeneuve