Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cinematologia

Repositorium de todos os filmes que vi

Cinematologia

2005-Good Night and Good Luck by George Clooney

Resultado de imagem para Good Night and Good Luck movie poster

Ciclo de Cinema| Óscares 2006

Nominee Best Art Direction\ Besr Actor in a Leading Role - David Strathairn\ Best Directing\ Best Picture\ Best Cinematography\ Best Writing (Original Screenplay) 

 

Sinopse:

América, década de 1950. Nos primórdios do jornalismo televisivo, um retrato do conflito que opôs Edward R. Murrow (David Stratharirn), um "pivot" pioneiro, ao senador Joseph McCarthy e a Comissão do Senado das Actividades Anti-Americanas. Graças à sua vontade de esclarecer o público, o inovador Murrow e a sua dedicada equipa - dirigida pelo seu produtor Fred Friendly (George Clooney) e Joe Wershba (Robert Downey, Jr.) - desafiam a partir da redacção da CBS pressões da empresa e dos patrocinadores ao analisar as mentiras e as tácticas rasteiras perpetradas por McCarthy durante a sua "caça às bruxas" aos comunistas. O diferendo agrava-se quando o senador reage, chamando comunista ao "pivot". Neste clima de medo e represálias, a equipa da CBS continua o seu projecto e a sua tenacidade acaba por surtir frutos, quando McCarthy é chamado a responder perante o Senado e despojado de todo o seu poder, ao mesmo tempo que as suas mentiras e estratégias prepotentes são finalmente desmascaradas. Apesar disso, Murrow e a equipa pagaram cara a sua ousadia e o programa foi transferido para um horário menos nobre. O seu legado, contudo, permaneceu intacto e continua a ecoar hoje como padrão para o jornalismo televisivo de qualidade. "Boa Noite e Boa Sorte" é a segunda longa-metragem de George Clooney, depois de "Confessions of a Dangerous Mind". Nomeado para seis Óscares, entre os quais Melhor Realizador, Filme e Actor, ganhou no Festival de Veneza 2005 os prémios de Melhor Actor, Argumento e Crítica Internacional.

cinecartaz.publico.pt

 

Crítica:

"Good Night, And Good Luck" não é uma lição de história sobre a América dos anos 50, nem sequer uma biografia do jornalista Edward R. Murrow, que em 1954 confrontou no seu programa televisivo "See It Now" o Senador Joseph McCarthy, presidente do Subcomité Permanente de Investigações do Senado, pelo seu indiscriminado furor anti-comunista e abuso de poder, evidenciando a fina linha que divide investigação de perseguição. 

"Good Night, And Good Luck" fala da censura do governo, da cobardia e falta de imparcialidade dos media, do poder da publicidade (como é o caso da tabaqueira que alimenta o vício de três maços por dia de Murrow) e de um público demasiado estupidificado pelo entretenimento para digerir informações que o possam chocar.

O Murrow de Strathairn não sorri mas tem humor, é reservado mas não insensível. E concentra um poder imenso na voz monocórdica, no lento inalar de um cigarro, um olhar intenso para a câmara. Ao não se abordar a vida pessoal de Murrow, ele acaba por se tornar símbolo das liberdades constitucionais, reivindicadas contra acções movidas por rumores e insinuações, onde se suspeita de tudo o que possa ser diferente.

Da mesma forma que Murrow usa as próprias palavras de McCarthy para o derrubar, também Clooney opta por usar as imagens de arquivo de McCarthy. O ritmo que impregna à história é irrepreensível, alternando cenas dramáticas com belíssimos interlúdios de jazz na voz de Dianne Reeves, igualmente importantes na construção do forte ambiente do filme.

A grande falha de "Good Night, And Good Luck" é, na minha opinião, a falta de contexto histórico. Entra-se a tal velocidade no enredo que um espectador que esteja mais fora desta realidade histórica americana facilmente se sentirá perdido.

De qualquer modo, este é um filme fascinante sobre a paixão que pode mover uma profissão. Especialmente se essa profissão pode de facto marcar a diferença. Através de Clooney e Strathairn esta redacção torna-se o mais importante sítio do mundo para se estar.

Rita Almeida-cinerama.blogs.sapo.pt

 

Cinemantário: Como constatado na crítica acima, o contexto histórico teria sido importante para melhor compreender o filme.