Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cinematologia

Repositorium de todos os filmes que vi

Cinematologia

2005-Capote by Bennett Miller

Resultado de imagem para Capote movie poster

Ciclo de Cinema| Óscares 2006

Winner Best Actor in a Leading Role - Philip Seymour Hoffman

Nominee Best Directing\ Best Picture\ Best Actress in a Supporting Role - Catherine Keener\ Best Writing (Adapted Screenplay)

 

Sinopse:

Em Novembro de 1959, Truman Capote (Philip Seymour Hoffman, o grande favorito ao Óscar de Melhor Actor), o autor de "Breakfast at Tiffany''s", lê um artigo numa das últimas páginas do "New York Times" sobre o homicídio de quatro membros de uma família do Kansas. A história prende-lhe atenção, pois Capote acredita que nas mãos do escritor certo a realidade pode ser tão apaixonante como a ficção. Convence então a "New Yorker" a publicar a história e viaja para o Kansas para acompanhar a investigação. A sua voz fina, maneirismos e modo de vestir pouco convencional dão origem a hostilidade numa zona do país que ainda se vê como parte do Velho Oeste. Mas aos poucos, Capote consegue ganhar a confiança dos locais, sobretudo a do agente Alvin Dewey, que lidera a investigação e a caça aos assassinos. Apanhados em Las Vegas, os homicidas - Perry Smith e Dick Hickock- são devolvidos ao Estado do Kansas onde são julgados e condenados à morte. Capote visita-os na prisão. À medida que os vai conhecendo, descobre que aquilo que inicialmente tinha sido pensado como um artigo de revista cresceu e deu lugar a um livro - um livro que poderia tornar-se um dos mais importantes da literatura moderna.

cinecartaz.publico.pt

 

Crítica:

"Capote" é um filme sobre o egoísta processo criativo de Truman, no qual o autor tem poder máximo de ingerência na vida e na obra. É um filme que nos agarra pela inteligente desenvoltura que a trama tem, ganhando obviamente com o desempenho fortíssimo de Philip Seymour Hoffman. E como cereja em cima do bolo, o filme reproduz a essência da criação do livro e do estilo literário (a novela não ficcional), fazendo com que seja em si um processo de acompanhamento e desenvolvimento da história. Quando a criatividade e a literatura são moralmente mais fortes do que os crimes relatados na história, o escritor assume-se como um cínico semi-deus, fechado na sua obsessão de criador. 

Joana Veiga-www.cinecartaz.publico.pt

 

Cinemantário: A interpretação de Philip Seymour Hoffman é absolutamente extraordinária.