Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cinematologia

Repositorium de todos os filmes que vi

Cinematologia

2004-The Bourne Supremacy by Paul Greengrass

Resultado de imagem para The Bourne Supremacy movie poster

 

Sinopse

The Bourne Supremacy continua a história de Jason Bourne, um assassino de elite, que ficou amnésico e continua a ser atormentado por imagens de um passado de que tentou afastar-se.
Bourne e Marie (Franka Potente), que o ajudara na busca pela sua verdadeira identidade e na tentativa de descobrir por que motivo tantas pessoas desejavam vê-lo morto, mantiveram, nos últimos anos, uma existência anónima. Bourne afastara-se da sua vida de assassino, prometendo retaliar se voltassem a tentar contactá-lo.
Mas um agente especial aparece na aldeia em que o casal está escondido e Bourne é obrigado a pegar outra vez nas suas armas para conseguir sobreviver.
Depois de "Identidade Desconhecida" (The Bourne Identity), "Supremacia - The Bourne Supremacy" é o segundo tomo de uma série criada por Robert Ludlum, célebre escritor de "thrillers" de espionagem, que fez sucesso no final dos anos 80.

cinecartaz.publico.pt 

 

Crítica:

Com câmara nervosa e acrobática a conferir ao filme surpreendente tensão, entramos num registo de aventura que nunca dispensa a densidade de personagens pouco explicadas, rodeadas de mistérios e de nebulosas contradições. A realização de Paul Greengrass é escorreita e profissional, mas a montagem trabalha sobre elipses e segredos de forma a dar profundidade a simples explosões ou a pirotecnias de efeitos. Existe sempre a procura de uma razão para acções inexplicadas (ou inexplicáveis) de forma a prender o espectador a uma exposição aleatória de violência, com o rosto conturbado de Matt Damon a encher o ecrã, num assassino profissional vítima da sua incapacidade para recordar e de uma conspiração de contornos muito pouco definidos. 

No fundo, "Supremacia" não aspira a muito mais: melhorar o filme original, de que é sequela, manter um público orfão de "boas aventuras de espionagem" e, eventualmente, preparar uma nova sequela.

Mário Jorge Torres-www.publico.pt

 

Cinemantário: Mais do mesmo.